4 Julho - 62 anos sobre o assassinato de Alfredo Dinis

 

Foi há 62 anos, que numa estrada de Bucelas, a PIDE assassinava Alfredo Dinis, militante e dirigente do Partido Comunista Português, heróico dirigente do proletariado e da resistência anti-fascista.

A data foi hoje evocada numa iniciativa da Concelhia de Loures. Num momento histórico em que se torna mais dura a luta pela liberdade, pela democracia e pela justiça social, os revolucionários de hoje não esquecem - e honram - os que à luta fizeram o supremo sacrifício: o da vida.

O assassinato de Alfredo Dinis foi um crime do fascismo, mas  o PCP sublinha que o crime maior foi o próprio fascismo, 48 criminosos anos, em que banqueiros e latifundiários empurraram o povo português para a miséria e para a guerra, enquanto as classes dominantes viviam no luxo e na opulência.

Podes  Ler Mais Sobre Alfredo Dinis Aqui. 

1 Julho - Festa Popular da Damaia do PCP


 No dia 1 de Julho realizou-se a já tradicional Festa Popular da Damaia do PCP Além do Convívio e da Animação Cultural (esta a cargo co Conjunto "Os Justos") a iniciativa ficou marcada pelo Comício, onde Vasco Cardoso, da Comissão Política do CC do PCP reafirmou as críticas do PCP à politica de direita e a confiança de que a luta e unidade dos trabalhadores derrotará a actual ofensiva do grande capital. Na iniciativa interveio ainda João Calado, da Comissão de Freguesia da Damaia

29 Junho - Grande Comício CDU na Aula Magna




A palavra de ordem dominante ontem no grande comício CDU na Aula Magna foi "CDU AVANÇA, COM TODA A CONFIANÇA!"

30 Junho - PCP por um Serviço Postal Público e de Qualidade

 Realizou-se no CT Vitória a 30 Junho uma Audição Pública com Debate com o lema "Por um Serviço Postal público e de qualidade ao serviço do povo e do País" integrado na preparação da Conferência sobre as Questões Económicas e Sociais que terá lugar no Seixal nos próximos dias 24 e 25 de Novembro.

Para Ler o Documento Aprovado em PDF

29 Junho, Intervenção de Jerónimo de Sousa no Comício

 As eleições intercalares do próximo dia 15 de Julho – expressão e consequência da ingovernabilidade para que foi arrastado o município de Lisboa em resultado das políticas e opções de direita na autarquia – constituem um importante batalha política e uma oportunidade para assegurar uma gestão democrática e de esquerda para a cidade.

A queda da Câmara Municipal de Lisboa e a convocação destas eleições é inseparável da profunda crise municipal e da falência do projecto da direita que ao longo de seis anos PSD e CDS – contando nas matéria e questões decisivas com a conivência ou o apoio do PS – deixou degradar a vida e o ambiente urbano da cidade, entregou Lisboa à especulação imobiliária, degradou a estrutura dos serviços municipais e conduziu a capital do país a uma situação de total descredibilização política.

Talvez como nunca Lisboa precisa da CDU, do seu trabalho, da sua coerência, do seu conhecimento e amor à cidade para que esta possa recuperar o lugar que merece em termos de credibilidade e de uma gestão que sirva Lisboa e a sua população.

Continuar...