Estudos desmascaram tentativa do Governo de reduzir salários nominais

Neste momento assiste-se, de novo, a uma gigantesca e articulada campanha de manipulação da opinião pública visando convencer os portugueses que a crise que o País enfrenta deve-se à “rigidez” das remunerações nominais e das leis laborais em Portugal. O Banco de Portugal, pela mão de V. Constâncio, no seu Relatório de 2006, e o Expresso na sua edição de 4.8.2007, culpabilizam a “rigidez das remunerações nominais” pela crise actual. Se juntarmos a isto a “redutibilidade das retribuições”, ou seja, a diminuição da remunerações nominais  defendida pela chamada Comissão do Livro Banco das Relações Laborais, assim como as declarações do governo, feitas através do ministro Vieira da Silva, de que é preciso adaptar a legislação do trabalho para criar condições ao aumento da competitividade das empresas, o quadro fica claro e completo. Apesar das remunerações reais dos trabalhadores terem diminuído de uma forma constante nos últimos anos, para todos estes “senhores” essa baixa não é suficiente. Pretendem agora que diminuam as próprias remunerações nominais, ou seja, os salários em euros e que as leis laborais sejam alterada.

Os dois mais recentes Estudos de Eugénio Rosa são armas importantes para combater - desde já - estes novos planos do grande capital e seu governo. Ler "A Campanha contra a suposta rigidez das remunerações nominais " e "O relatório de progresso da Comissão do Livro Branco ". 

A Festa cada vez mais próxima!

Este fim de semana prosseguiu a implantação da Festa do Avante. Como ilustra a foto, fruto do trabalho militante, o Espaço de Lisboa começa a ganhar forma.

Paralelamente, as organizações começaram a distribuição massiva do Jornal de Artistas da Festa e prossegue a venda antecipada de Entradas.

É assim a FESTA! Fruto do trabalho de todo o colectivo partidário.

Para ver mais fotos das Jornadas, aqui!

Números que ilustram a luta de classes em Portugal

Eugénio Rosa editou dois novos estudos, que aqui divulgamos, com importantes dados para a compreensão dos objectivos reais da política do Governo actual. Que o petróleo baixa em Euros, mas os combustíveis sobem, alimentando os fabulosos lucros privados no sector. Que as Empresas privatizadas geram lucros suficientes para cobrir o defíce se ainda fossem públicas. Que o capital estrangeiro se está a apropriar destas empresas e a retirar crescentes lucros do país. E o Governo já anunciou novas privatizações. Um Governo ao total serviço do lucros do grande capital.  

Estudo "Não há razões para o aumento dos combustíveis"

Estudo "As privatizações agravaram o défice externo"

A Festa Continua! Participa nas Jornadas

A Construção da Festa do Avante continua a mobilizar o colectivo partidário. Entrados em Agosto, é tempo de começar a subir as paredes dos diferentes espaços,  de começar a colocar as coberturas, bem como de concluir a construção dos tubos.

Estes Sábado e Domingo a Festa continua! Participa nas Jornadas de Trabalho.

 

19 Julho, Conferência de Imprensa da CDU/Cidade Lisboa

 As eleições de 15 de Julho para a Câmara Municipal de Lisboa deram como resultado a vitória do PS com maioria relativa e a eleição para a CM de vereadores de quatro forças políticas e de duas listas ditas independentes. A CM saída das eleições confirma que as eleições, sendo uma saída para a crise política que a CM vivia, podiam não ser só por si uma solução.
A CDU, que elegeu dois vereadores e afirmou na campanha e na própria noite eleitoral, ir defender, entre outras, um conjunto de propostas que respondam aos problemas da Cidade, tem em relação ao futuro a seguinte posição que aqui se recorda:

Continuar...