Continuar a Estudar Lénine, no 84º Aniversário da sua morte

A 21 de Janeiro de 1924, cumprem-se hoje 84 anos, morria Lénine, revolucionário, dirigente do Estado Soviético, da III Internacional e do Partido Bolchevique. Lénine dedicou a sua vida à libertação do proletariado e de todos os povos da Terra, luta que continua nos dias de hoje, e para a qual, o seu exemplo de revolucionário e os seus contributos práticos e teóricos, continuam a ser instrumentos fundamentais.

Nesta ocasião, editamos electrónicamente uma nova obra de Lénine, "Conservarão os Bolcheviques o Poder de Estado?", escrita nas vésperas da Revolução Socialista de Outubro.

Importar o Texto "Conservarão os Bolcheviques o Poder de Estado?"

Consultar o Conjunto de Obras de Lénine disponíveis em PDF 

35 anos do assassinato de Amilcar Cabral

Faz hoje 35 anos que Amilcar Cabral foi assassinado. O Povo português, que ao lado deste revolucionário marxista combateu o inimigo comum, o colonialismo e o fascimo, não o esquece.

Ler artigo escrito por Sérgio Ribeiro sobre Amilcar Cabral. 

22 Dezembro - Campanha "Basta de Injustiças!" em Sacavém!

O PCP de Loures realizou no passado dia 22 de Dezembro, com  a presença de Jerónimo de Sousa, uma iniciativa de contacto com a população em Sacavém, subordinada ao tema "As Prendas do PS na Câmara e no Governo". Podes ver os documentos e outras notas sobre a iniciativa na página da CDU Loures (www.cduloures.org )

Com o aumento de preços, aumentam as injustiças sociais

A DORL inicia esta segunda-feira a distribuição de um comunicado à população com o título "Com o aumento de preços, aumentam as injustiças sociais", onde denuncia o aumento generalizado de preços bem acima da taxa de inflação "prevista" e as consequências desta política: redução real de poder de compra dos trabalhadores e aumento dos lucros do capital. E reafirma a necessidade e possibilidade de m outro rumo para Portugal.

Ler Comunicado em PDF

Centenário do Nascimento de Francisco Miguel

O PCP assinalou este mês o centenário do nascimento de Francisco Miguel, resistente anti-fascista, militante comunista, herói do proletariado português. Pela ocasião o PCP editou uma exposição dedicada a este revolucionário cuja vida de resistência e luta atravessou todo o século XX - sempre do lado certo: com os trabalhadores e o seu Partido. O ódio do fascismo a Francisco Miguel e ao seu Partido forçaram-no a 21 anos de cadeia, das quais escapará nada menos que quatro vezes, para mergulhar de novo na luta organizada. Já depois da revolução portuguesa, Francisco Miguel continuará a luta - com o seu Partido - tendo ocupado múltiplas responsabilidades partidárias e institucionais.