Arte e Revolução - Saiu o Caderno Vermelho 15

Foi lançado na Festa do Avante! o número 15 do Caderno Vermelho, revista do Sector Intelectual de Lisboa do PCP. No conteúdo deste número, particularmente cuidado do ponto de vista da ilustração e do arranjo gráfico (de Luís Carlos Amaro) destacam-se três blocos temáticos: sobre os 90 anos da Revolução de Outubro, sobre o Encontro Nacional do Partido sobre cultura, e sobre a situação da democracia e das liberdades.
Este caderno encontra-se à venda nos Centros de Trabalho do Partido no distrito por 6 Euros.

ARTE E REVOLUÇÃO
Saiu o Caderno Vermelho nº15

Foi lançado na Festa do Avante! o número 15 do Caderno Vermelho, revista do Sector Intelectual de Lisboa do PCP. No conteúdo deste número, particularmente cuidado do ponto de vista da ilustração e do arranjo gráfico (de Luís Carlos Amaro) destacam-se três blocos temáticos: sobre os 90 anos da Revolução de Outubro, sobre o Encontro Nacional do Partido sobre cultura, e sobre a situação da democracia e das liberdades.
A Revolução de Outubro é abordada sob o ângulo da relação entre a cultura, a ciência, as artes e a educação e o movimento revolucionário, a sua incorporação no processo transformador das realizações do poder soviético e da primeira experiência histórica de construção do socialismo, em textos de Manuel Augusto Araújo, Filipe Diniz, Rui Albuquerque e Gisela da Conceição.
Sobre o Encontro Nacional do Partido publicam-se várias das intervenções realizadas nessa importante iniciativa.
Sobre a questão da situação actual da democracia e das liberdades publicam-se dois textos de reflexão de Manuel Gusmão e de Carlos Grilo acerca da situação nacional, uma entrevista com Arménio Carlos acerca da luta dos trabalhadores e do seu papel perante a actual ofensiva de tentativa de retirada de  direitos, e também de restrição das liberdades de organização e de acção dos trabalhadores, e publica-se um texto de João Arsénio Nunes relembrando que a história da República de Weimar continua a conter importantes lições para a análise e para a definição da táctica do movimento operário nos dias de hoje.
O Caderno Vermelho nº15 publica ainda textos sobre o “novo” Tratado Europeu, de André Levy, sobre a Conferência Nacional sobre Questões Económicas, de Tiago Cunha, sobre Ciência, Ambiente, Ética e Sociedade, de Frederico Carvalho, e sobre alguns dos textos do I Volume das Obras Escolhidas de Álvaro Cunhal, de Joaquim Lobo.
Publicam-se poemas de dois poetas operários: Francisco Miguel, no ano do centenário do seu nascimento, e de José Vultos Sequeira.