Trabalhadores obrigam ao cumprimento da contratação colectiva

refeitoriotap vitAs empresas de restauração colectiva (Cantinas) como a ITAU, entre outras, têm tentado aplicar a todos os trabalhadores o contrato feito pela ARESP  com a UGT que retira direitos aos trabalhadores. É preciso estar atento ao embuste, começando pelo roubo nas horas noturnas que deixam de ser pagas entre as 20h e a 00h. Na cantina da TAP a empresa ITAU deixara de fazer - ilegalmente - o pagamento das horas noturnas desde setembro de 2017 a vários trabalhadores que estavam sindicalizados no sindicato da Hotelaria da CGTP.  Face à resistência dos trabalhadores, no fim de Janeiro a empresa finalmente efectuou o pagamento das horas noturnas com retroactivos. Esta é uma vitória importante que certamente vai dar mais confiança a novas lutas pela satisfação de outras justas reivindicações como é o caso do pagamento dos feriados, que não está a ser pago a 200% como manda o contrato colectivo, ou ra redução das categorias profissionais a uma só, sem esquecer a luta por uma real actualização da grelha salarial.