Alcântara

Alcântara: PCP em contacto com a população em defesa dos transportes

 

alcantara accaocontacto transportesDia 22 de Dezembro de 2016 realizou-se uma distribuição de documento e contacto com utentes no Largo do Calvário, na freguesia de Alcântara, no âmbito da Campanha do PCP para defesa dos transportes públicos, intitulada "Transportes Públicos: um direito, um serviço público, uma necessidade".

 

Contou com a participação de João Ferreira, vereador do PCP na Câmara Municipal de Lisboa, que ouviu as muitas queixas dos utentes e apresentou as propostas e reivindicações do PCP.

 

PCP Alcântara assinala 55.º aniversário do assassinato de José Dias Coelho

 

alcantara homenagem josediascoelho dez2016A Comissão de Freguesia de Alcântara do PCP, por ocasião do 55.º aniversário do assassinato pela PIDE de José Dias Coelho, promoveu uma Homenagem Evocativa, no dia 19 de Dezembro de 2016, pelas 18:30h, na Rua José Dias Coelho, em Alcântara (junto ao local onde ocorreu o assassinato).

 

 

Nesta iniciativa, onde usaram da palavra Catarina Ângelo, da Comissão de Freguesia de Alcântara do PCP, e Paulo Raimundo, do Secretariado do Comité Central do PCP, foi destacado o exemplo do intelectual, do artista, do lutador antifascista e do comunista que foi José Dias Coelho e também foi dado destaque ao quão importante é conseguir resistir, não abdicando de princípios e de valores, para se alcançar uma sociedade mais justa onde não exista exploração do homem pelo homem.

 

PCP Alcântara homenageia José Dias Coelho

 

alcantara homenagemjosediascoelho 2016No próximo dia 19 de Dezembro, pelas 18:30, vai realizar-se a Homenagem Evocativa a José Dias Coelho, junto ao local onde ocorreu o seu assassinato, numa iniciativa promovida pela Comissão de Freguesia de Alcântara do PCP.

 

PCP Alcântara comemora 99 anos da Revolução de Outubro

 

alcantara almoco 99anivRevOutOs 99 anos da Revolução de Outubro foram assinalados, em Alcântara, com um magnifico almoço convívio que reuniu cerca de 90 pessoas e no qual marcou presença Fernando Maurício, da Direcção de Organização Regional de Lisboa do PCP.

 

Fernando Mauricio fez o enquadramento histórico da data que ali se assinalava, sublinhando que as conquistas sociais e os avanços civilizacionais que a Revolução Russa de 1917 proporcionaram só se consumaram porque o povo tomou nas suas mãos a condução do seu destino, tendo acontecido aquilo que para muitos era visto como impossível e inalcançável: as 8 horas de trabalho, igualdade entre homens e mulheres, a terra ao serviço do desenvolvimento colectivo, entre muitas outras conquistas que potenciaram e inspiraram as lutas dos povos um pouco por todo mundo.